Maceió

Sobre o destino


A primeira coisa que se nota em Maceió é a variação da cor do mar - às vezes verde, às vezes azul - e o Sol, presente quase o ano todo, o que resulta em águas constantemente quentes. A origem do seu nome é indígena e significa o lugar de "Maçayó", que por sua vez significa terra inundada.

Os historiadores afirmam que a capital de Alagoas era originária de uma antiga plantação de açúcar, por volta do século XVIII. Outros acreditam que, por ser uma cidade costeira, sua origem seria uma pequena vila de pescadores. A cidade se destaca economicamente pela pesca de peixes e crustáceos e pela importância do açúcar, produto responsável pela maior parte da atividade no porto de Maceió, que o torna o maior terminal de açúcar do mundo.

Maceió possui uma infra-estrutura turística desenvolvida com hotéis de várias categorias, pousadas e albergues, a maioria perto das praias. Nas praias de Pajuçara, Ponta Verde e Jatiúca, existem restaurantes e quiosques no passeio (muitos com música ao vivo) que servem pratos à base de frutos do mar. Uma das iguarias locais é o sururu, uma característica do marisco da região que merece ser apreciada. No final da tarde, o passeio se torna uma passarela perfeita para a prática de atividades físicas ou simplesmente para apreciar o pôr do sol.

A cultura local é expressiva e memorável, especialmente por seu rico folclore, além de artistas, escritores e músicos conhecidos internacionalmente, como o cantor Djavan. Entre as manifestações folclóricas, há festivais como Carvalhada, Bumba Meu Boi e Reisado. O artesanato é representado por renda filé (um tipo de renda típico da região) e cerâmica, e encanta tudo por sua originalidade e beleza.

A Praia do Francês, a 20 km do centro de Maceió, é uma das mais bonitas do Brasil, com águas protegidas por uma parede de recifes que os mantém calmos e cristalinos. Também é possível visitar praias mais ao norte, como Mirante da Sereia, Riacho Doce, Garça Torta e Guaxuma.





image
image
image
image